ANÁLISE DA EVOLUÇÃO INICIAL DA COVID-19 E A PERCEPÇÃO DOS MORADORES EM CANINDÉ – CEARÁ

  • Cristiano da Silva Rocha Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • Fábio Perdigão Vasconcelos Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • Delano Nogueira Amaral Universidade Estadual do Ceará – UECE
  • Maria Bonfim Casemiro Universidade Estadual do Ceará – UECE
Palavras-chave: Coronavírus. Evolução da pandemia. Canindé-CE.

Resumo

Atualmente, o mundo está passando por uma pandemia sem precedentes no nível de disseminação que resultou em várias crises, impactando negativamente o cotidiano das populações, provocando problemas de ordem sanitária, social e econômica. É importante compreender que a dispersão da doença em municípios fora da Região Metropolitana de Fortaleza podem contribuir para o surgimento de novos focos de contaminação. Nesse contexto, o principal objetivo deste trabalho é analisar a evolução inicial dos casos confirmados do novo Coronavírus e como a população percebe esse problema. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica  sobre os conceitos utilizados, elaborado o mapeamento dos casos durante o mês de abril e aplicados questionários, para entender a percepção dos moradores de Canindé sobre o Covid-19 e identificar os impactos sociais que o vírus fornece na rotina dos moradores de Canindé. A análise mostrou que a evolução dos casos é diferente da percepção dos moradores, que demonstraram relativa consciência da pandemia e de seus problemas. Ficou claro que o aumento de casos significa possível adesão a ideias falsas ligadas às redes sociais e desobediência a medidas preventivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano da Silva Rocha, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Graduação (2013) e Mestrado (2020) em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará - UECE. Integrante do Grupo de Pesquisa e Laboratório de Gestão Integrada da Zona Costeira - LAGIZC (UECE). Tem experiência em Geociências com ênfase em Geografia ambiental, atuando principalmente nas temáticas: Vulnerabilidade socioambiental, análise de processos erosivos, percepção de problemas socioambientais e planejamento ambiental em municípios costeiros. Atualmente, é também professor de Geografia efetivo da Secretária de Educação do Estado do Ceará (SEDUC).

Fábio Perdigão Vasconcelos, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Graduado em Engenharia de Pesca pela Universidade Federal do Ceará- UFC (1979), com Especialização em Oceanografia pela Universidade de São Paulo USP (1984), Doutorado em Ciências da Terra com ênfase em Oceanografia Ambiental Costeira pelo Instituto de Ciências e Técnicas da Universidade de Nantes na França (1992) e Pós-Doutorado em Geografia na área de Gestão Integrada da Zona Costeira no Laboratório de Geografia, Litoral e Mar do Instituto de Geografia e Planejamento Regional da Universidade de Nantes na França (2003). Professor Associado da Universidade Estadual do Ceará, atuando na Graduação em Geografia com a Disciplina de Oceanografia. Fundador e Professor Permanente do Mestrado e Doutorado em Geografia da UECE (Nota 4 CAPES) com as disciplinas de Gestão Integrada da Zona Costeira e Seminários de Tese. Atua nas Especializações em Planejamento e Gestão Ambiental, e Turismo e Meio Ambiente da UECE com as disciplinas de Dinâmica de Sistemas Litorâneos e Impactos Sócioambientais do Turismo Litorâneo. Atualmente é Coordenador do Mestrado Profissional em Turismo da UECE. Coordenador e Líder do Grupo de Pesquisa do Laboratório de Gestão Integrada da Zona Costeira (LAGIZC), certificado pela UECE e cadastrado no CNPq. Tem experiência profissional e publicações de livros, artigos científicos e trabalhos técnicos na área ambiental costeira com ênfase em gestão integrada, análise de impactos ambientais, perícia ambiental, oceanografia costeira, dinâmica costeira, poluição ambiental e impactos do turismo litorâneo. Atualmente é Presidente da Comissão Executiva de Concursos e Vestibulares da UECE - CEV.

Delano Nogueira Amaral, Universidade Estadual do Ceará – UECE

Graduado em Bacharelado em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará; Aluno de Graduação em Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal do Ceará; Aluno do Programa de Pós Graduação em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará; Foi Monitor da Disciplina de Climatologia na UECE; Foi Bolsista de Iniciação científica na UECE com foco em Gestão Ambiental, Gestão na Zona Costeira e Dinâmica Litorânea; É membro do Grupo de Pesquisa do Laboratório de Gestão Integrada da Zona Costeira.

Maria Bonfim Casemiro, Universidade Estadual do Ceará – UECE

Doutoranda em Geografia - Programa de Pós-Graduação em Geografia - Mestre em Geografia (2017) pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual do Ceará - PROPGEO/UECE - com área de concentração em Análise Geoambiental e Ordenação do Território nas regiões semi-áridas e litorâneas. Especialista em Geografia: Educação ambiental (2018). Graduada em Geografia Licenciatura (2014) - UECE - . Atualmente é pesquisadora do Grupo de Pesquisa Gestão Integrada da Zona Costeira/CNPQ e membro do Laboratório de Gestão Integrada da Zona Costeira - LAGIZC (PropGeo/UECE); Tem experiência em Geociências com ênfase em Geografia Ambiental atuando principalmente nos seguintes temas: Avaliação de impactos ambientais em zonas costeiras; Gestão costeira integrada; Gestão Ambiental e Educação Ambiental.

Publicado
2020-09-05
Como Citar
ROCHA, C. DA S.; VASCONCELOS, F. P.; AMARAL, D. N.; CASEMIRO, M. B. ANÁLISE DA EVOLUÇÃO INICIAL DA COVID-19 E A PERCEPÇÃO DOS MORADORES EM CANINDÉ – CEARÁ. Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS), v. 22, n. 2, p. 5-25, 5 set. 2020.
Seção
Seção Especial: Reflexões científicas e sociopolíticas sobre a COVID-19