//rcgs.uvanet.br/index.php/RCGS/issue/feed Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS) 2024-06-03T16:35:47-03:00 Isorlanda Caracristi icaracristi@hotmail.com Open Journal Systems A Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS) é publicada pelo Curso de Geografia da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA/Sobral-CE), órgão de ensino, pesquisa e extensão na área de Geografia e Geociências. //rcgs.uvanet.br/index.php/RCGS/article/view/961 A ROTA DO MANGANÊS: PROPOSTA DE ROTEIRO GEOTURÍSTICO PARA SERRA DO NAVIO (AP), REGIÃO AMAZÔNICA BRASILEIRA 2024-04-11T16:54:33-03:00 Eduardo Queiroz de Lima eduardo.lima@unifap.br Cláudia Valéria de Lima claudia@ufg.br Valter Gama de Avelar valtergamaavelar@gmail.com <p>A Rota do Manganês corresponde a uma proposta de roteiro geoturístico elaborado para o município de Serra do Navio, situado no estado do Amapá. Este município tem sua história fortemente vinculada à mineração do manganês que durou quatro décadas, criando a <em>company town</em> “Vila de Serra do Navio” que hoje corresponde a sede do referido município. Por meio do roteiro, pretende-se explorar o potencial geoturístico do entorno da sede municipal de Serra do Navio, conectando pontos que apresentem a geodiversidade em diálogo com a história da mineração do município e observando os valores da geodiversidade e os serviços geossistêmicos presentes em cada parada. Para a elaboração desta proposta realizou-se a avaliação e a seleção dos pontos mais relevantes no que concerne à geodiversidade e em seguida realizou-se uma análise dos valores da geodiversidade e dos serviços geossistêmicos de cada parada do roteiro. Por fim, o roteiro conta com seis paradas que contém elementos da geodiversidade <em>in situ</em> e <em>ex situ</em>, onde foram identificados cinco valores da geodiversidade e cinco serviços geossistêmicos.</p> 2024-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Eduardo Queiroz de Lima, Professora Cláudia, Valter Gama de Avelar //rcgs.uvanet.br/index.php/RCGS/article/view/990 PAISAGEM: UMA ABORDAGEM NA CONCEPÇÃO DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA DO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL II, DA ESCOLA EUNICE PENHA EM MAZAGÃO VELHO - AP 2024-03-07T16:25:49-03:00 Luiz Edevaldo Miranda Melo luizedevaldomelo@gmail.com José Mauro Palhares jmpalhares@gmail.com <p>O presente artigo propõe uma reflexão da importância do conceito de paisagem no Ensino de Geografia, em turmas do sexto ano do Ensino Fundamental II, tendo como base a realização de entrevistas. A referida reflexão utilizou-se, como metodologia, de uma pesquisa bibliográfica, bem como a pesquisa de campo, com o procedimento metodológico de entrevista. No decorrer da pesquisa, buscou-se uma reflexão do conceito de paisagem e sua abordagem em diversos contextos históricos. Os resultados foram satisfatórios e demonstraram a importância do estudo da paisagem, para a compreensão da realidade e o despertar de uma visão crítica sobre o espaço geográfico socioespacial dos alunos do 6º ano do Ensino Fundamental II.</p> 2024-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Luiz Edevaldo Miranda Melo, José Mauro Palhares //rcgs.uvanet.br/index.php/RCGS/article/view/937 AS DINÂMICAS DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL: UM ESTUDO SOBRE A PRODUÇÃO DO ESPAÇO AGRÁRIO DA AMAZÔNIA LEGAL 2024-04-11T16:39:25-03:00 Sidinei Esteves de Oliveira de Jesus sidinei.jesus@uft.edu.br Nilton Marques de Oliveira niltonmarques@uft.edu.br Mônica Aparecida da Rocha Silva monicas@uft.edu.br <p>O presente trabalho tem como objetivo analisar as dinâmicas do desenvolvimento regional da Amazônia Legal (AL) e o seu processo de produção do espaço agrário. Verificou-se que o processo de desenvolvimento proposto para a região se deu na esteira da implantação de políticas de desenvolvimentistas a partir do meado do século XX. O objetivo das políticas visou a integração da AL com as demais regiões do país, a ocupação do “vazio” demográfico, incentivos fiscais para a entrada de grupos econômicos para explorar a região economicamente e a diminuição das desigualdades regionais. Nesse sentido o estudo busca fazer uma análise histórica dos Planos Nacionais de Desenvolvimento, da Política Nacional de Desenvolvimento Regional e seus desdobramentos para reorganização do espaço agrário dessa região. Esse estudo está alicerçado numa abordagem crítica de cunho qualitativo, que através de uma análise exploratória e descritiva buscou em fontes bibliográficas, bem como em documentos oficiais a sustentação teórica e os dados necessários para a construção desse artigo. Como resultado a ser melhor detalhado no desenvolvimento deste trabalho, é possível afirmar que o processo de integração nacional para o desenvolvimento econômico da AL se constituiu em detrimento da exploração dos recursos naturais e espoliação social. Acrescenta ainda o fato de que mesmo o Estado tendo criado um esforço para desenvolver as políticas para o desenvolvimento da AL, elas foram insuficientes para sanar o vazio demográfico, a desigualdade regional, os problemas agrários e ambientais nessa região.</p> 2024-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Sidinei Esteves de Oliveira de Jesus, Nilton Marques de Oliveira, Mônica Aparecida da Rocha Silva //rcgs.uvanet.br/index.php/RCGS/article/view/993 AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DOS SÍTIOS PALEONTOLÓGICOS DA FORMAÇÃO IPU, SILURIANO DA BACIA DO PARNAÍBA, NOROESTE DO CEARÁ 2024-04-15T19:50:06-03:00 Thiago de Albuquerque Lima limathial@gmail.com Maria Somália Sales Viana somalia_viana@hotmail.com Paulo Victor de Oliveira victoroliveira@ufpi.edu.br <p>A borda leste da Bacia do Parnaíba abriga sítios paleontológicos do Siluriano. Objetivou-se com esta pesquisa, identificar e analisar quantitativamente Locais de Interesse Geopaleontológicos (LIGp) da Formação Ipu no Ceará. Com base na metodologia de Brilha e utilizando-se da plataforma GEOSSIT do Serviço Geológico do Brasil foram selecionados, classificados e quantificados os LIGp. Realizaram-se sete missões de campo resultando na identificação de nove sítios paleontológicos em quatro municípios: Sapó e Baixa Fria dos Santos, em Santana do Acaraú; Contra Fogo e Zipu, em Pacujá; Caveira e Floresta, em Cariré; Bica do Ipu, Três Pedras e Palmeirinha, em Ipu. Foram avaliados: valor científico, risco de degradação, prioridades de proteção, potencial uso educativo e turístico. Os sítios Contra Fogo e Zipu necessitam de proteção prioritária pois possuem alto risco de degradação; os demais, apesar de possuírem moderado risco de degradação, tem potencial uso educativo de relevância nacional, fazendo-se necessária a construção de uma plano de conservação para todos. Como ponto de partida para o desenvolvimento de estratégias de geoconservação, sugere-se a inserção do conhecimento sobre o patrimônio paleontológico nos programas ambientais e educativos municipais, bem como o aproveitamento desses sítios paleontológicos no desenvolvimento regional sustentável através da economia, cultura e turismo.</p> 2024-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Thiago de Albuquerque Lima, Somália Viana, Paulo Victor //rcgs.uvanet.br/index.php/RCGS/article/view/1005 MÉTRICAS DA PAISAGEM DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DE CONCEIÇÃO DA BARRA, LITORAL NORTE DO ESPÍRITO SANTO, A PARTIR DO LEVANTAMENTO DO USO E COBERTURA DA TERRA PARA OS ANOS DE 1970 E 2012/2014 2024-03-18T20:24:00-03:00 Cláudia Câmara do Vale camaravale@gmail.com Yara Schaeffer-Novelli novelliy@usp.br Marta Leite Oliver Batalha marta.oliverbatalha@gmail.com <p>Trata o presente artigo acerca das métricas resultantes dos dados gerados a partir do levantamento do uso e da cobertura da terra em 1970 e 2012/2014, da Área de Proteção Ambiental de Conceição da Barra, localizada no litoral norte do estado do Espírito Santo. A pesquisa teve como suporte o referencial teórico-metodológico da Ecologia da Paisagem, preconizada pelo biogeógrafo Carl Troll. Do ponto de vista metodológico foi realizada vetorização das fotografias aéreas para o ano de 1970 e da ortofotomosaico para os anos 2012/2014 da área da APA de Conceição da Barra utilizando o <em>software</em> ArcGis™ versão 10.3, cuja licença é do Laboratório de Cartografia e Geotecnologias do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Espírito Santo. Posteriormente foram gerados os arquivos<em> raster</em> por meio do uso e cobertura da terra para os dois recortes temporais. A partir das classes de uso e cobertura foram geradas as métricas da paisagem através do <em>software</em> gratuito Fragstats, que estão representadas por meio dos gráficos e dos mapas. Os dados gerados a partir dos mapeamentos foram utilizados para compreender a dinâmica e a atual estrutura da paisagem, bem como para definir a matriz da APA em ambos os recortes temporais. Como resultados, foi definida a matriz de Recursos Ambientais para 1970 e 2012/2014. &nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</p> 2024-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Cláudia Câmara do Vale, Yara Schaeffer-Novelli, Marta Leite Oliver Batalha //rcgs.uvanet.br/index.php/RCGS/article/view/1027 A INFLUÊNCIA DE FILTROS AMBIENTAIS LOCAIS NA ICTIOFAUNA DE RIACHOS INTERMITENTES 2024-06-03T16:35:47-03:00 Maria Eduarda Rocha Mapurunga eduardarocha88453@gmail.com Yan Victor Belchior Pessoa belchioryanvictor@gmail.com Anderson Henrique de Maria eusouandersont@gmail.com Júlia Silva Oliveira juliasilvoliveira@gmail.com Bianca de Freitas Terra bianca_freitas@uvanet.br <p>Os filtros ambientais selecionam as espécies favorecendo sua persistência, especialmente em ambientes dinâmicos como os rios intermitentes. O objetivo deste estudo foi compreender como os filtros ambientais locais influenciam a estruturação da ictiofauna em riachos intermitentes durante o período de cheia, quando há fluxo de água. A ictiofauna, as caraterísticas físicas do habitat e os parâmetros físico-químicos da água foram amostrados durante os anos de 2021 e 2022 em quatro riachos da bacia do rio Acaraú, localizada no estado do Ceará. Entre as 17 espécies coletadas, Poecilia reticulata Peters, 1859 foi a mais abundante com 69% do total de indivíduos. No que se refere aos filtros ambientais, a análise de correspondência canônica mostrou que as variáveis relacionadas a estrutura do habitat, tipo de substrato, abrigo e meso-habitat foram altamente correlacionadas com as assembleias locais, influenciando diretamente a composição e estrutura da ictiofauna. O riacho Sabonete apresentou maior riqueza de espécies, o que foi associado a maior heterogeneidade do habitat, com o substrato variando entre lama e pedra e macrófitas como abrigo predominante. Os resultados indicam que as características do habitat influenciam a composição das espécies nos riachos estudados, reforçando a importância dos filtros ambientais locais para a seleção das assembleias de peixes em riachos intermitentes.</p> 2024-06-03T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Maria Eduarda Rocha Mapurunga, Yan Victor Belchior Pessoa, Anderson Henrique de Maria, Júlia Silva Oliveira, Bianca de Freitas Terra //rcgs.uvanet.br/index.php/RCGS/article/view/979 A RESISTÊNCIA CAMPONESA À EXPANSÃO DO AGRONEGÓCIO NA FRONTEIRA AGRÍCOLA DA CHAPADA DO APODI/CE 2024-03-18T20:33:10-03:00 Jackson Araujo de Sousa pesq.jackson.sousa@gmail.com Leandro Vieira Cavalcante leandro.cavalcante@ufrn.br <p class="Resumos">A porção da Chapada do Apodi circunscrita ao município de Tabuleiro do Norte-CE tem sido transformada, a partir de 2018, em uma nova fronteira agrícola através da produção de algodão pela empresa Nova Agro Agropecuária LTDA. O processo de territorialização e consecução do modelo de produção desta firma tem ensejado processos de injustiça e sofrimento ambiental, produzindo repercussões negativas aos territórios camponeses. Diante desse cenário, os(as) camponeses(as) têm desenvolvido experiências de resistência, contando com o apoio de organizações da sociedade civil, movimentos sociais, universidades e instituições de assessoria jurídico-popular. Cotidianamente e através do sistema de justiça tem havido resistência pelos sujeitos impactados. Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho é discutir as experiências de resistência camponesa frente à expansão do agronegócio do algodão na Chapada do Apodi, em Tabuleiro do Norte/CE, a partir da utilização das categorias de resistência cotidiana e de resistência legítima. Para o alcance do objetivo proposto, foram necessárias algumas etapas, quais sejam: 1) levantamento e revisão bibliográfica; 2) análise documental; 3) acompanhamento de lives e reportagens em jornais; 4) trabalhos de campo; 5) análise dos dados. A partir do estudo, verificou-se a adoção de estratégias diversas de resistência camponesa, que contribuem na defesa da vida, da terra, do ambiente e do território a partir da convivência com o Semiárido e da agroecologia.</p> 2024-06-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Jackson Araujo de Sousa, Leandro Vieira Cavalcante