PERSPECTIVAS E DESAFIOS DA GEOGRAFIA FÍSICA NO NORDESTE BRASILEIRO

Resumo

A produção científica no Brasil passa por momentos difíceis, em função da nova política de desmonte da ciência no país. O quadro é sério, se verificarmos que o grosso da pesquisa científica em Geografia Física no Brasil se faz na pós-graduação. Assim é que do total de trabalhos encaminhados ao IV Simpósio de Geografia Física do Brasil (Sobral, Ceará, 2018), 47% são oriundos dos 16 cursos de pós-graduação existentes no Nordeste. Pedologia foi o tema menos tratado nesse simpósio, seguido de Biogeografia. O eixo com mais contribuições foi o de Uso e Ocupação do Solo. As metodologias pautadas na análise ambiental dominaram nos trabalhos de praticamente todos os eixos, com impacto maior (96%) no eixo “Climatologia Geográfica” e com menor incidência no eixo “Estudos Geomorfológicos”. Esse fato, associados a outros contextos, parece estar cerceando a possibilidade de realização de uma geografia física da natureza, voltada para a dinâmica natural da superfície da Terra e não apenas para a relação sociedade x natureza, o que parece empobrecedor. Precisamos reverter essa tendência, e ampliar os estudos nas áreas que estão desaparecendo. Mas houve crescimento na produção cientifica em Geografia Física no Nordeste nos últimos dois anos, o que mesmo em contexto de crise parece promissor.

Palavras-chave: Geografia Física; Simpósios de Geografia Física do Norte; Análise Ambiental; Analise da Dinâmica da Natureza.


ABSTRACT

The scientific production in Brazil is going through difficult times, due to the new policy of dismantling of the science in the country. The situation is serious, if we verify that the bulk of the scientific research in Physical Geography in Brazil is done in the graduation programs.  Thus, of the total number of papers submitted to the IV Symposium of Physical Geography of Brazil (Sobral, Ceará, 2018), 47% came from the 16 graduation courses in the Northeast. Pedology was the theme less treated in this symposium, followed by Biogeography. The axis with the most contributions was Land Use and Development. The methodologies based on environmental analysis dominated the work of practically all axes, with a greater impact (96%) in the "Geographic Climatology" axis and with less incidence in the "Geomorphological Studies" axis. This fact, coupled with other contexts, seems to be limiting the possibility of a physical geography of nature, geared to analyze the Earth Surface’s natural dynamics and not only the relation of society and nature, which seems to be an impoverishment.  We need to reverse this trend, and broaden our studies in areas that are disappearing. However, there has been growth in the scientific production in Physical Geography in the Brazilian Northeast in the last two years, which even in the context of crisis seems promising.

Key-words: Physical Geography, Symposiums of Physical Geography of Brazilian Northeast, Environmental Analysis, Analysis of the Earth Natural dynamics.

 

RESUMEN

La producción científica en Brasil pasa por tiempos difíciles, debido a la nueva política de desmonte de la ciencia en el país. La imagen es seria, si verificamos que la mayor parte de la investigación científica en geografía física en Brasil se hace en la escuela de posgrado. Así, a partir del número total de ponencias enviadas al IV Simposio de geografía física de Brasil (Sobral, Ceará, 2018), el 47% son de 16 cursos de posgrado en el noreste. Pedología fue el tema menos tratado en este simposio, seguido por la biogeografía. El eje con la mayoría de las contribuciones era el uso y la ocupación del suelo. Las metodologías basadas en el análisis medioambiental dominaron el trabajo de prácticamente todos los ejes, con un mayor impacto (96%) en el eje "climatología geográfica" y con menor incidencia en el eje "estudios geomorfológicos". Este hecho, asociado con otros contextos, parece estar rodeando la posibilidad de realizar una geografía física de la naturaleza, enfocada en la dinámica natural de la superficie de la Tierra y no sólo para la relación sociedad X naturaleza, lo que parece ser uno empobrecedor.  Necesitamos invertir esta tendencia y ampliar los estudios en las áreas que están desapareciendo. Pero ha habido un crecimiento en la producción científica en geografía física en el Noreste en los últimos dos años, que incluso en el contexto de crisis parece prometedor.

Palabras llave: Geografía Física; Simposios de Geografía Física del Noreste; Análisis medioambiental; Análisis de la dinámica de la naturaleza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanda de Claudino-Sales, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)

Possui bacharelado em Geografia pela Universidade de Brasília, especialização em Geologia Marinha pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, mestrado em Geografia Física pela Universidade de São Paulo, doutorado em Geografia Ambiental pela Universidade Paris-Sorbonne e Pós-Doutorado em Geomorfologia Costeira pela Universidade da Flórida (USF). Professora Associado aposentada do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Ceará (UFC), foi professora visitante do Departamento de Geografia da Universidade Paris-Sorbonne em 2007 e do Departamento de Geociencias da Universidade do Sul da Flórida em 2006, 2008 e 2009. Foi pesquisadora 1D do CNPq. Tem experiência na área de Geociências, atuando principalmente nos seguintes temas: Geomorfologia Costeira e Litorânea, Geomorfologia Estrutural, Megageomorfologia, Geomorfologia Ambiental. Atualmente eh professora permanente do mestrado academico em Geografia da Universidade Estadual Vale do Acarau, e realiza pesquisas sobre Megageomorfologia, Geomorfologia Costeira, Geomorfologia Cultural e Patrimonio Natural Mundial.

Publicado
2019-09-30
Como Citar
CLAUDINO-SALES, V. DE. PERSPECTIVAS E DESAFIOS DA GEOGRAFIA FÍSICA NO NORDESTE BRASILEIRO. Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS), v. 21, n. 2, p. 2-18, 30 set. 2019.