CARTOGRAFIA SOCIAL INSTRUMENTO DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO TERRITORIAL: REFLEXÕES E PROPOSIÇÕES ACERCA DOS PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS DO MAPEAMENTO PARTICIPATIVO

  • Francisco Otávio Landim Neto Universidade Federal do Amapá – UNIFAP
  • Edson Vicente da Silva Universidade Federal do Ceará - UFC
  • Nátane Oliveira da Costa Universidade Federal do Ceará - UFC

Resumo

Analisa-se os procedimentos da investigação, ação, participação e propõe-se um conjunto de etapas para construção do conhecimento a partir da Cartografia Social – CS. Para tanto utilizou-se um referencial teórico constituído por um conjunto de estudos que discorrem sobre a temática em questão e percepções empíricas dos trabalhos de mapeamentos participativos realizados. Foi possível inferir que, i) As experiências inerentes a CS no território brasileiro e em âmbito internacional demonstram que a “fagulha” inicial que dá impulso as ações de mapeamento participativo diz respeito aos conflitos existentes nas dimensões territorial, ambiental, social, ii) a CS afigura-se num importante processo de formação tendo em vista que a questão inerente a elaboração do mapa rompe a fronteira da objetividade cartesiana, leva em consideração um conjunto de percepções subjetivas nas ações voltadas a construção do mapa, iii) elencou-se os aspectos metodológicos nos processos de mapeamento participativo mediante a observação de quatro etapas, a saber, diagnóstico; metodológico-organizacional; metodológico-operacional, e,  estratégias de uso e iv) a Universidade deve aprimorar suas ações no sentido de continuar a contribuir com a defesa dos territórios tradicionais mediante a integração entre o conhecimento cientifico (sistematizado) e os saberes e conhecimentos populares.

Palavras Chave: Cartografia Social, Procedimentos Metodológicos, Conhecimento e Território.

 

ABSTRACT

It analyzes the procedures of investigation, action, participation and proposes a set of steps for construction of knowledge from the Social Mapping – SC. Therefore, we used a theoretical framework consisted of a set of studies that discuss the topic in question and empirical perceptions from participatory mapping work It was possible to infer that: i)  The inherent SC experiences in Brazil and internationally demonstrate that the initial "spark" impulse that gives the participatory mapping actions with regard to conflicts in territorial, environmental, social dimensions, ii) SC appears to be an important process of, considering that the question inherent in drawing up the map breaks the boundary of Cartesian objectivity, taking into account a set of subjective perceptions in actions to construction of the map, iii) It is important to consider methodological issues in participatory mapping processes by observing four stages, namely, diagnosis; Methodological-organizational; methodological-operational, and use strategies and iv) the University must improve its actions to continue to contribute to the defense of traditional territories through the integration of scientific knowledge (systematic), the knowledge and popular knowledge.

Keywords: Social Cartography, Methodological Procedures, Knowledge and Territory.

 

RESUMEN

Se analizan los procedimientos de investigación, acción, participación y propone una serie de pasos para la construcción del conocimiento de la Cartografía Participativa CS. Por lo tanto, utiliza un marco teórico que consiste en un conjunto de estudios que tratan sobre el tema en cuestión y percepciones empírico del trabajo de mapeo participativo hecho. Era posible inferir que, i) las experiencias inherentes a  la CS en Brasil como a nivel internacional demuestran que la "chispa" dar el impulso inicial a las acciones de cartografía participativa en relación con los conflictos en territorial, ambiental y social, ii) CS aparece en un importante proceso de formación social considerando que la cuestión inherente a la elaboración del mapa rompe el límite de la objetividad cartesiana, teniendo en cuenta un conjunto de percepciones subjetivas en las acciones para construir el mapa, iii) Es importante tener en cuenta las cuestiones metodológicas en los procesos de cartografía participativa mediante la observación de cuatro etapas, a saber, el diagnóstico; -Metodológica de la organización; estrategias metodológicas operativas y de uso y iv) la Universidad debe mejorar sus acciones para seguir contribuyendo a la defensa de los territorios tradicionales, mediante la integración de los conocimientos científicos (sistemático) y el conocimiento y el saber popular.

Palabras clave: Cartografía Social, procedimientos metodológicos, Conocimiento y Territorio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Otávio Landim Neto, Universidade Federal do Amapá – UNIFAP
Francisco Otávio Landim Neto. Professor Assistente do Magistério Superior - 40h DE - Colegiado de Geografia da Universidade Federal do Amapá - UNIFAP, Campus Oiapoque. Graduado em Geografia na modalidade Licenciatura pela Universidade Federal do Ceará - UFC (2010). Possui mestrado em Geografia (2013) pela Universidade Federal do Ceará. Atualmente cursa doutorado na referida instituição. Tem experiência na área de Cartografia Social, Planejamento Ambiental em Bacias Hidrográficas, atuando nos seguintes temas: Análise Integrada da Paisagem, Geoprocessamento e Educação Ambiental.
Edson Vicente da Silva, Universidade Federal do Ceará - UFC
Graduação em Geografia - Bacharelado e Licenciatura. pela Universidade Estadual do Ceará (1981), mestrado em Planejamento Rural em Função do Meio Ambiente pelo Instituto Agronômico Mediterrâneo de Zaragoza (1987), doutorado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Rio Claro São Paulo (1993), pós-doutor em Educação Ambiental pela Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia (2006) e pós-doutor em Planejamento e Geoecologia da Paisagem pela Faculdade de Geografia, Universidade de Havana-Cuba (2007). Atualmente é professor titular da Universidade Federal do Ceará (1997), tirocínio docente da Universidade Federal da Bahia e professor dos Doutorados e Mestrados em Geografia e de Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA), da Universidade Federal do Ceará . Tem experiência na área de Geoecologia da Paisagem, atuando principalmente nos seguintes temas: análise ambiental, educação ambiental, litoral, análise geoambiental, recursos hídricos e desenvolvimento sustentável.
Nátane Oliveira da Costa, Universidade Federal do Ceará - UFC
Mestranda em Geografia pela Universidade Federal do Ceará. Licenciada em Geografia pela Universidade Federal do Ceará (2013). Atuou como bolsista do Projeto de Extensão ? Edital PROEXT 2014 ? MEC/SESu "Cartografia Social dos Territórios de Pesca do Litoral Oeste do Ceará: Mapeamento Participativo e Atitude Cidadã entre os Povos Tradicionais?. Foi Bolsista de Iniciação Científica vinculada ao Projeto "Cartografia Social e Manejo de Bacias hidrográficas: Estudos, práticas e conhecimento tradicional para a construção de novas realidades socioambientais" desenvolvido no Laboratório de Geoprocessamento - LABOCART, no período de 2013. Participou da Monitora voluntária da disciplina de Métodos e Técnicas da Pesquisa em Geografia Física, no período de 2013. No período entre 2011 e 2012 foi bolsista do projeto Células de Aprendizagem Cooperativa - COFAC. Desenvolve atividades de extensão universitária no Laboratório de Geoecologia da Paisagem e Planejamento Ambiental.
Publicado
2016-09-12
Como Citar
NETO, F. O. L.; SILVA, E. V. DA; COSTA, N. O. DA. CARTOGRAFIA SOCIAL INSTRUMENTO DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO TERRITORIAL: REFLEXÕES E PROPOSIÇÕES ACERCA DOS PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS DO MAPEAMENTO PARTICIPATIVO. Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS), v. 18, n. 2, p. 56-70, 12 set. 2016.