INTERSECCIONALIDADE: A POTÊNCIA DO CONCEITO-FERRAMENTA METODOLÓGICA PARA A GEOGRAFIA

Autores

  • Ana Paula do Nascimento Vasconcelos Universidade Estadual do Ceará (UECE)

DOI:

https://doi.org/10.35701/rcgs.v26.964

Palavras-chave:

Geografia, Trabalho, Feminismos, Interseccionalidade

Resumo

A teoria crítica feminista sustenta que o patriarcado e outras formas de opressão de gênero estão profundamente arraigados nas estruturas sociais, políticas e econômicas. Um dos conceitos chaves na teoria crítica feminista é a noção de "opressão interseccional", o qual enfatiza que as experiências de opressão não são uniformes para todas/os sujeitos, mas variam de acordo com sua posição na estrutura social. Buscam questionar as estruturas de poder existentes e promover a construção de uma sociedade mais equitativa e livre de opressão. A interseccionalidade como conceito-ferramenta metodológica, proposta pelas feministas negras, sendo incorporada pela Geografia, permite uma análise mais abrangente e crítica das desigualdades e das dinâmicas sociais no espaço, levando em consideração as intersecções entre diferentes marcadores estruturantes do capitalismo. O texto objetiva enfatizar a potência do conceito para a Geografia. Para tanto é realizada uma revisão bibliográfica e mostra-se dados da Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar (Pnad) no que tange aos chamados “serviços domésticos” e a variável sexo. Conclui-se que interseccionalidade permite a observância das complexas e diferentes categorias sociais, ampliando a compreensão das experiências de opressão e privilégio no espaço geográfico, permitindo a identificação de estratégias e políticas mais eficazes para promover a justiça social e espacial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula do Nascimento Vasconcelos, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Mestra e Doutoranda em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual do Ceará – UECE. 

Downloads

Publicado

2024-02-06

Como Citar

VASCONCELOS, A. P. do N. INTERSECCIONALIDADE: A POTÊNCIA DO CONCEITO-FERRAMENTA METODOLÓGICA PARA A GEOGRAFIA. Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS), [S. l.], v. 26, n. 1, p. 1–13, 2024. DOI: 10.35701/rcgs.v26.964. Disponível em: //rcgs.uvanet.br/index.php/RCGS/article/view/964. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos