CONHECIMENTO TRADICIONAL DOS INGARIKÓ - TERRA INDÍGENA RAPOSA SERRA DO SOL - RORAIMA E AS ESTRATÉGIAS PARA SOBREVIVÊNCIA

  • Márcia Teixeira Falcão Universidade Estadual de Roraima
  • Sandra Kariny Saldanha de Oliveira Universidade Estadual de Roraima
  • Lúcio Keury Almeida Galdino Universidade Estadual de Roraima

Resumo

O artigo tem como objetivo demonstrar o conhecimento tradicional da etnia Ingarikó, povo que vive na região sobreposta ao Parque Nacional do Monte Roraima, na Terra Indígena Raposa Serra do Sol/Uiramutã em Roraima, e as estratégias utilizadas para a sobrevivência. A pesquisa foi realizada em três das onze comunidades da etnorregião Ingarikó: Manalai, Mapaé e Serra do Sol, as quais fazem parte do plano piloto de implantação do Conselho Consultivo entre a FUNAI, ICMBio e o COPING.  A metodologia envolveu as autorizações que envolve seres humanos, visitas in loco, sobrevoo, participação em atividades do cotidiano da comunidade tais como: reuniões, plantio de roças e rituais. Os resultados demonstraram que as estratégias de sobrevivência dos Ingarikó estão pautadas em busca pela soberania alimentar através do resgate das sementes tradicionais, implantação do etnoturismo, capacitações técnicas e implantação do projeto Nutrir, através de atividades agroecológicas com foco na produção animal e vegetal.

Palavras - chave: Estratégias de sobrevivência. Produção agrícola. Soberania alimentar.

 

RESUMEN

El artículo tiene como objetivo demostrar el conocimiento tradicional de la etnia Ingarikó, pueblo  que vive en la región superpuesta al  Parque Nacional del Monte Roraima, en la Tierra Indígena Raposa Serra do Sol / Uiramutã en Roraima, y las estrategias utilizadas para la supervivencia. La encuesta se realizó en tres de las once comunidades de la etnorregión Ingarikó: Manalai, Mapaé y Serra do Sol, que son parte del plan piloto de implementación del Consejo Asesor entre la FUNAI, ICMBio y COPING. La metodología consistió en las autorizaciones con seres humanos, visitas in loco, sobrevuelo, participación en las actividades diarias de la comunidad, tales como: reuniones, plantación de jardines y rituales. Los resultados mostraron que las estrategias de supervivencia de los Ingarikó se guían en busca de la soberanía alimentaria mediante el resgate de las semillas tradicionales, implantación del etnoturismo, capacitaciones técnicas y de implantación del proyecto Nutrir, a través de actividades agroecológicas centradas en la producción animal y vegetal.

Palabras - clave: Estrategias de supervivencia. Producción agrícola. Soberanía alimentaria.

 

ABSTRACT
The article aims to demonstrate the traditional knowledge of Ingarikó ethnicity, people living in the overlapping region of Mount Roraima National Park, in the Raposa Serra do Sol / Uiramutã in Roraima, and the strategies used for survival. The survey was conducted in three of the eleven communities Ingarikó etnorregião: Manalai, Mapaé and Serra do Sol, which are part of the Advisory Council pilot deployment plan between the FUNAI, ICMBio and COPING. The methodology involved the authorizations involving humans, site visits, overflight, participation in community daily activities such as meetings, planting gardens and rituals. The results showed that the survival strategies of Ingarikó are guided in search for food sovereignty through the redemption of traditional seeds, etnotourism deployment, technical training and implementation of the project Nourishing through agroecological activities focused on animal and plant production.
Key  words: Survival strategies. Agricultural production Food sovereignty.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Teixeira Falcão, Universidade Estadual de Roraima
Professora licenciada em Geografia pela Universidade Federal de Roraima (2001) - UFRR, Doutora pelo Programa de Pós-Graduação PPG-Bionorte, Biodiversidade e Conservação, Mestre e Especialista em Recursos Naturais pela UFRR. Atualmente é professora da Universidade Estadual - UERR, exerceu a função de editora-chefe da Revista Eletrônica Ambiente, gestão e desenvolvimento. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Meio Ambiente, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Ambiental, Geomorfologia Ambiental, etnogeomorfologia, Biodiversidade e Conservação.
Sandra Kariny Saldanha de Oliveira, Universidade Estadual de Roraima
Possui graduação em Licenciatura Em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (2002), Doutoranda em Biodiversidade e Conservação Rede BIONORTE, Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (2005). Atualmente é professora assistente da Universidade Estadual de Roraima. Tem experiência na área de Educação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável.
Lúcio Keury Almeida Galdino, Universidade Estadual de Roraima
Possui graduação em Licenciatura Plena em Filosofia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (2004), graduação em CFP- Licenciatura Plena em História e Geografia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (2005) e mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Ceará (2007). Atualmente é professor Mestre Nível I da Universidade Estadual de Roraima - UERR, lotado no Curso de Geografia, com experiência na área da Geografia Humana, atuando principalmente nos seguintes temas: homem, trabalho, meio ambiente, educação, sociedade, cultura, Território-Planejamento-Gestão, sustentabilidade e identidade.
Publicado
2016-09-11
Como Citar
FALCÃO, M. T.; OLIVEIRA, S. K. S. DE; GALDINO, L. K. A. CONHECIMENTO TRADICIONAL DOS INGARIKÓ - TERRA INDÍGENA RAPOSA SERRA DO SOL - RORAIMA E AS ESTRATÉGIAS PARA SOBREVIVÊNCIA. Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS), v. 18, n. 2, p. 5-19, 11 set. 2016.