A GEOGRAFIA, A NATUREZA E O IMPASSE DA MODERNIDADE: O ROMANTISMO E AS POSSIBILIDADES INTERPRETATIVAS PARA A QUESTÃO AMBIENTAL

  • Antonio Carlos Vitte UNICAMP
Palavras-chave: Geografia. Romantismo. Questão Ambien-tal. Humboldt. Interdisciplinaridade.

Resumo

O objetivo do presente artigo é chamar a atenção para as potencialidades e possibilidades de diálogo do campo geográfico sobre a questão ambiental, a partir do romantismo. Para isto, realizou-se uma contextualização sobre o quanto esse movimento foi importante para fundar a noção de unidade orgânica da natureza, representada pelo conceito de espaço geográfico, e ao mesmo tempo, como o uso da técnica e da tecnologia, dissociou essa unidade. A proposta é que alguns conceitos do movimento romântico, que foram importantes para a formação da geografia com Humboldt, podem ser resgatados, retrabalhados à luz da modernidade e fornecer as ferramentas teóricas e empíricas para o diálogo da geografia frente a questão ambiental com outros saberes humanos.

Palavras-Chave: Geografia. Romantismo. Questão Ambien-tal. Humboldt. Interdisciplinaridade.

 

 

 

 

 

GEOGRAPHY, NATURE AND THE IMPASSE OF MODERNITY: ROMANTICISM AND THE INTERPRETATIVE POSSIBILITIES FOR THE ENVIRONMENTAL ISSUE

Abstract

The aim of this paper is to draw attention to the potential and possibilities of dialogue of the geographical coverage on the environmental issue, from the romanticism. For this, we performed a background on how this movement was important to establish the notion of organic unity of nature, represented by the concept of geographic space and at the same time as the use of the technique and technology, decoupled from that drive. The proposal is that some concepts of the Romantic movement, which were important for the formation of geography with Humboldt, they can be salvaged, reworked in light of the modernity and provide the theoretical tools and empirical to the dialogue forward other knowledge of geography human face to issue environment.

Keywords: Geography. Romanticism. Environmental issues. Humboldt. Interdisciplinarity

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Carlos Vitte, UNICAMP
Possui graduação em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1989) e doutorado em Geografia (Geografia Física) pela Universidade de São Paulo (1998). Atualmente é MS3 - assistente doutor da Universidade Estadual de Campinas. Pesquisador Nível 2 CNPq. Atua nas seguintes linhas de pesquisa: História e Epistemologia da Geografia, com destaque para a história e a epistemologia da Geografia Física; Relações entre a Filosofia Kantiana e Gênese da Geografia Moderna, fragilidade ambienal, degradação ambienal, geoecologia da paisagem, geopolítica ambiental
Como Citar
VITTE, A. C. A GEOGRAFIA, A NATUREZA E O IMPASSE DA MODERNIDADE: O ROMANTISMO E AS POSSIBILIDADES INTERPRETATIVAS PARA A QUESTÃO AMBIENTAL. Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS), v. 12, n. 1, 11.
Seção
Artigos