PANORAMA DO TRABALHO (IN)FORMAL: BREVE INCURSÃO DA CLASSE SOCIAL PRECARIZADA DOS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS

  • Uilmer Rodrigues Xavier da Cruz Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Ricardo Alexandrino Garcia Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
Palavras-chave: Catadores de materiais recicláveis, Precarização do trabalho, Classe trabalhadora, Capitalismo

Resumo

Devido à grande quantidade de resíduos sólidos que nossa sociedade produz diariamente, é imprescindível que sejam estabelecidas estratégias de gestão de resíduos, de modo a oferecer a esses uma destinação adequada, evitando prejuízos ambientais. É nessa conjuntura que se avista a importância dos catadores de materiais recicláveis, que cumprem não só uma função ambiental, de manutenção dos centros urbanos e reaproveitamento dos resíduos no processo de reciclagem, mas também uma função socioeconômica, coletando e triando matéria-prima para a indústria, ao mesmo tempo em que geram renda para a própria subsistência. Contudo, apesar da relevância desses trabalhadores, eles continuam sem receber o devido reconhecimento da sociedade, além de serem submetidos a condições precárias de trabalho e serem alvo de discriminação de indivíduos e grupos em posição mais elevada na hierarquia social. Diante desse antagonismo entre valor e desvalorização do trabalho dos catadores de materiais recicláveis, este artigo se propõe a examinar a fonte dessa contradição, percorrendo, para tanto, noções como as de modo de produção, formação social, capitalismo, estratificação social, precarização da classe trabalhadora, relações de consumo e produção social, com vistas a produzir uma leitura acerca desse fenômeno. Parte-se da hipótese de que, apesar da importância de seu trabalho, os catadores de materiais recicláveis, por lidarem com os restos do consumo das classes posicionadas em nível socioeconômico superior, acabam sendo assimilados também como restos, haja vista a forma como ocorre a produção social de sua existência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Uilmer Rodrigues Xavier da Cruz, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Doutorando em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) (2020). Mestre em Geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) (2019), Graduação em Geografia - Ênfase em Sistemas de Informações Geográficas pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) (2008). Interesse de investigação: Rede de reciclagem, cadeia globais, circuitos da economia urbana, produção social do trabalho, narrativas do poder e espaço, políticas públicas de coleta seletiva, gestão integrada de resíduos sólidos, tecnologias sociais para gestão integrada de resíduos sólidos. Responsável por implantar o software CATAsig, PLACAR DA RECICLAGEM e por ministrar cursos, palestras, capacitações em várias cooperativas de catadores no estado da Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. E-mail: uilmer@ufmg.br.

Ricardo Alexandrino Garcia, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Professor do departamento de Geografia do Instituto de Geociências (IGC) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e coordena, desde 2010, o Laboratório de Estudos Territoriais (LESTE/IGC/UFMG); foi o Coordenador do Programa de Pós-graduação em Geografia (2015-2019), sub-coordenou o programa de Pós-graduação em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais (2013-2015), sub-chefiou o departamento de Geografia (2014-2015) e foi o diretor do Instituto Casa da Glória (Eschwege) entre 2010 e 2013, todos vindulados ao IGC/UFMG; é o editor chefe do Cadernos do Leste (1679-5806), editor da revista Geografias (1808-8058), revisor de diversos periódicos científicos e lidera o grupo de pesquisa em Geografia Aplicada (CNPq). Possui mestrado (2000) e doutorado (2002) em Demografia pela UFMG e graduação em Psicologia (1995) pela USP. Tem experiência de pesquisa em geografia regional, métodos de análise regional e desenvolvimento econômico; geografia aplicada, distribuição espacial das atividades econômicas e regionalização; teoria e métodos quantitativos, modelos estocásticos, multivariados e espaciais, e modelagem de sistemas, geoprocessamento e modelos espacialmente explícitos; projeção populacional, com ênfase nos modelos de componentes da dinâmica demográfica e de pequenas áreas; distribuição espacial da população, movimentos populacionais e migração. Vem publicando e orientando, ultimamente, diversos trabalhos acadêmicos nas áreas da Geografia Econômica, Planejamento Urbano e Regional, Ciências Ambientais, Demografia e Economia Regional

Publicado
2022-11-05
Como Citar
CRUZ, U. R. X. DA; ALEXANDRINO GARCIA, R. PANORAMA DO TRABALHO (IN)FORMAL: BREVE INCURSÃO DA CLASSE SOCIAL PRECARIZADA DOS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS. Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS), v. 24, p. 78-113, 5 nov. 2022.
Seção
Artigos